Quem é essa aí, papai?

Sobre essa mania de perpetuar rivalidade feminina.

 A interwebs enlouqueceu na última semana com um vídeo em que Ivete Sangalo chama a atenção do marido, que estava conversando com uma outra mulher durante o show dela. Nele, ela reclama que eles têm muito assunto e pergunta quem é a dita cuja. Muita gente achou engraçado, fez memes e um monte de piadas porque, enfim, é assim que as coisas acontecem na internet. E aí teve quem problematizasse e dissesse que Ivete estava errada porque quem tem compromisso com ela é o marido.

 Eu concordo que a mulher não deve fidelidade a ninguém e que, independente da forma que reagiu ao boom que o vídeo recebeu, não tem nada a ver com isso e não é obrigada a nada. Enquanto ele for o que é casado, é ele que deve respeito à esposa e isso é uma missão que não divide com ninguém. Mas, nada tem só uma perspectiva.
 É possível que algumas mulheres flertem com ele. Já deve ter acontecido muito, inclusive. Mas e aí? O que elas têm a ver com isso? Se elas estão solteiras, não estão traindo ninguém, né? Mesmo que saibam do estado civil do moço, é ele que deve negar e cumprir o acordo matrimonial que foi proposto.
 Isso quer dizer que acho que é ótimo, maneiro, legal e super recomendado dar em cima de mocinhos comprometidos? Claro que não. Inclusive, acredito que também tem super a ver com o feminismo respeitar a mulher com quem ele está. Porque, por mais que você não tenha estabelecido nada com ela, tem tanto homem no mundo, né? Não vale a pena magoar uma outra mulher querendo flertar com o que é casado com ela.
 O que eu queria entender mesmo é por que o primeiro reflexo de Ivete e da internet inteira é apontar o dedo pra ela? Isso não é um caso isolado. Não é a primeira e, infelizmente, não é a última vez e com certeza a cantora baiana não foi a responsável por criar esse posicionamento.
 A tendência é essa mesmo: criticar a mulher e deixar o homem pra lá. Seja ela a mulher que traiu, a que foi traída ou a com quem se traiu, sempre é culpa dela. É um coro entoando de que ela está sempre errada, não importa o que faça.
 Se você tem um namorado e ele te traí com alguém, o primeiro reflexo é culpar a amante. O segundo é se culpar. Ela deu em cima dele, ele não resistiu, é inocente. Você não deu atenção suficiente, não fez o que ele queria, fez por onde. Mas, caramba, será que os homens são tão desprovidos de discernimento assim?
 Será que são incapazes de determinar o que é certo e o que é errado e de respeitar o relacionamento monogâmico que foi estabelecido? É preciso manter o seu namorado numa bolha para que ele não tenha contato com ninguém que manifeste interesse por ele porque, caso contrário, ele não vai conseguir evitar a traição? Não faz o menor sentido.
 Essa competição feminina que gira em torno da atenção de um cara que sequer é capaz de respeitar a mulher com quem está é inútil e recebe muito mais adeptas do que deveria. Não existe essa de amiguinha do seu namorado. Ele sabe muito bem que se está com você é porque quer. A menos que ele esteja preso no pé da sua mesa, não há nada que o impeça de terminar o relacionamento e sair com quem quiser. A culpa não é sua, a culpa não é dela, a culpa é exclusivamente dele.
 Se fosse ao contrário, se você o traísse, de quem seria a culpa? Alguém diria que ele não deu a atenção que você merecia ou que o cara com quem você o traiu estava errado por flertar com você? É claro que não, todos os olhares se virariam para a mais nova adultera.
 Nós somos treinadas a ver as outras mulheres como inimigas e homens são o maior prêmio de todos. Não é culpa de Ivete, nem da mulher que estava conversando com o marido dela e nem das meninas que compartilham esse vídeo a parabenizando. Tem toda uma conjuntura social por trás disso porque enquanto a atenção feminina estiver voltada para um combate interno, todos os problemas que fogem dessa perspectiva serão ignorados.
 Então, mais amor pelas minas. Mais cumplicidade, mais irmandade, mais união entre nós. E menos valorização de XY que permanece com o ego intacto enquanto competimos umas contra as outras. Se for pra lutar, que estejamos do mesmo lado.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s