Resenha de Quinta: O ódio que você semeia, da Angie Thomas #33

BANNER-O-ódio-que-você-semeia.png

Basicamente todo mundo que leu ‘O ódio que você semeia’ estava garantindo que era o melhor livro do ano. Não foram duas ou três pessoas, foram quase todos os booktubes que acompanho e as pessoas que sigo no Good Reads. Um título tão forte quanto esse não é pra qualquer um e fazer esse sucesso com um monte de gente que tem gostos literários diferentes também não. Por isso, fiquei surtada para ler esse livro. Não aguento ver o buzz e não ir atrás para entender de onde surgiu.

Juro que cheguei até a ficar um pouco temerosa. Vai que ele não fosse tudo isso e todas essas resenhas e opiniões super positivas fossem só gerar uma decepção enorme? Nunca se sabe. A internet as vezes surta por uma coisa e nem sempre é fácil entender qual a graça daquilo. Mas não foi isso que aconteceu com esse livro. Felizmente, posso me juntar ao coro e dizer que essa foi a minha melhor leitura de 2017.

Continuar lendo

Anúncios

Lev: O leitor de e-books da Saraiva #32

lev.jpg

Acredito que essa é a melhor ocasião possível para tirar esse post da área de rascunhos, onde ele estava aguardando há mais de um ano. Desde que o escrevi, comecei a usar uma nova versão do Lev e ganhei um Kindle (que deve chegar na próxima semana). Então, que hora melhor para falarmos sobre isso?

Vocês provavelmente já sabem que, apesar de eu amar o cheirinho de livros, a visão de uma estante cheia e todas as texturas lindas que envolvem a leitura de um livro físico, sou completamente adepta dos exemplares virtuais. São mais baratos, mais leves, mais práticos e tem o que realmente importa: o conteúdo tal qual o escritor publicou.

Por isso, no começo de 2015, eu estava decidida a comprar meu primeiro leitor de e-books. Minha opção inicial era o Kobo, mas acabei com o Lev em mãos e me apaixonei bem mais do que imaginaria. Quem já deu uma pesquisada sobre isso, sabe que o leitor da Saraiva quase não é falado. Apesar disso, foi uma experiência maravilhosa.

O primeiro Lev que tive foi o sem luz, mas, no meu aniversário do ano passado, ganhei a outra versão do meu querido namorado. Por isso, me considero quase uma especialista no assunto. É claro que os que eu tive não foram dessa nova versão, que lançou a pouco tempo. No entanto, acredito que dá pra ter uma boa noção de como o leitor funciona.

Continuar lendo

Resenha de Quinta: Três Coroas Negras #26

18058151_1494070620638025_4762302462390963679_n.png

Já fazia um tempão que eu estava curiosa para saber o que tinha de tão especial em ‘Três Coroas Negras’. Era tanta gente comentando, elogiando, fazendo teorias. Algo de incrível tinha que ter aí. Finalmente, eu descobri. Agora entendo todo esse amor e todo esse interesse. A trama é impecável, as personagens são super envolventes e toda a sacada é genial.

Caso você não saiba do que eu estou falando, vou explicar. ‘Três Coroas Negras’, de autoria da Kendare Blake, conta a história de uma ilha em que, a cada geração, nascem trigêmeas destinadas a disputar o trono. Cada uma delas pertence a uma categoria: Naturalista (que pode controlar a fauna e a flora), Elemental (que controla os quatro elementos) e Envenenadora (que é imune a venenos e capaz de manipular combinações mortais).

Seria tudo lindo, tudo maravilhoso, se não existe a regra de que só uma delas pode sobreviver e, assim, assumir o controle da ilha. Para que isso aconteça, ao completarem 16 anos, elas dão início a uma batalha que só pode ter uma sobrevivente.

Continuar lendo

Atualização Mensal: Os livros de Julho #20

leitura.gif

Julho foi um mês maravilhoso para as leituras. Por mais que eu não tenha batido nenhum recorde mundial ou coisa parecida, foi, sem dúvidas, o mês que mais li esse ano. Para vocês terem uma ideia, 30% do meu total de leituras de 2017 foi feito nos últimos 31 dias. Pois é. Não tá fácil para ninguém.

Como mencionei ontem, reservei o dia que marca o início do mês mais longo de todos para falar justamente sobre o que aconteceu na minha vida literária durante Julho. Os únicos livros que deixei de fora foram ‘Uma História Meio Engraçada’ e Girl Boss porque, como eles foram mencionados há pouco tempo, achei que ficaria meio repetitivo.

De resto, você poderá conferir, nos próximos parágrafos, livros maravilhosos e especialmente recomendáveis para quem está enfrentando a famigerada ressaca literária.

Continuar lendo

TOP 3: Livros sobre saúde mental #18

lendo.gif

Para coroarmos a nossa semana de debates sobre saúde mental, resolvi falar um pouquinho sobre o papel da literatura nessa coisa toda. Na minha opinião, tem tudo a ver. Desde a infância, somos acostumados a ler uma série de coisas que vêm com uma moral: histórias em quadrinhos, fábulas, contos. Tudo acaba com uma lição sobre um tema qualquer. Isso porque é bem mais eficaz tratar sobre certos assuntos por meio da ficção.

Nós temos a tendência de reagir mal a ordens explícitas e diretas, o que quer dizer que é mais fácil entender as coisas por meio de personagens e metáforas. Especialmente, quando nos apegamos à trama. Então, que jeito melhor para tratar de tabus e de temas que exigem uma dose extra de sensibilidade e responsabilidade que por meio de livros?

É claro que isso não quer dizer que qualquer livro serve. Assim como no cinema, em séries e até na imprensa, é preciso ter cuidado com a forma que se trata esse tipo de questão. O que não vale é que isso se torne desculpa para não fazer um esforcinho a mais para levar uma mensagem importante.

Um cuidado válido, por exemplo, é deixar claro que o tema vai ser abordado. Suicídio, estupro e outras temáticas sensíveis não podem simplesmente ser utilizados como reviravolta para o enredo. É válido colocar até uns avisos no começo* para garantir que ninguém se sinta emocionalmente abalado com esses temas e acabe tendo uma surpresa muito negativa.

Outra coisa que pode ser pensada é quão descritiva é a cena. É realmente preciso abordar essas coisas com um montão de detalhes que podem acabar parecendo um tutorial? É um ponto válido tanto pra quem escreve quanto pra quem pretende indicar esse tipo de obra para alguém. Repito: não basta falar sobre, é preciso entender de que modo isso deve acontecer.

Por isso, resolvi fazer um TOP 3 temático, com obras que retratam bem questões como depressão e suicídio. Saber se isso é recomendado para você, no entanto, é algo muito mais pessoal. É claro que o fato de abordar esses sentimentos, por si só, pode despertar emoções negativas, então é válido refletir um pouquinho sobre quão disposto a ler isso você está.

De toda forma, acredito que esses livros podem servir como fonte de informação para quem não entende muito bem sobre o assunto e desmistificar algumas coisas que costumam ser disseminadas, então não poderia deixar de recomendá-los infinitamente.

*Que a gente costuma chamar de trigger warning ou aviso de gatilho.

Continuar lendo

5 conselhos de Girl Boss #10

girl boss

Quando GirlBoss* virou uma série da Netflix, eu já estava cansada de ver garotas indicando o livro da Sophia Amoruso. Por isso, maratonei tudo no primeiro final de semana e me apaixonei pela história dessa mulher de primeira. Para quem ainda não sabe, a Sophia é a criadora da marca Nasty Gal e começou o negócio do zero, aos 22 anos, com uma lojinha no eBay. Depois de um longo caminho, a coisa cresceu e, de acordo com a Forbes, em 2012, ela já tinha vendido mais de US$ 300 milhões em peças variadas.

Atualmente, a Nasty Gal está num processo de falência e não é mais dirigida pela Sophia. Mesmo assim, a moça se tornou um ideal de empreendedorismo e resolveu escrever um livro falando sobre o tema e direcionando os conselhos especialmente para as mulheres. Para ela, ser uma #GirlBoss tem tudo a ver com uma série de atitudes que mudam seu jeito de ver a si mesma e ao mundo.

Se eu já tinha me apaixonado por toda a história só com o seriado, o livro me mostrou que dava pra ser ainda mais inspirador. Por mais que eu jurasse que ia ser um manual de empreendedorismo no qual eu não estaria nenhum pouco interessada, ele se mostrou algo totalmente diferente, contendo um monte de ensinamentos a cada página.

Não se engane, o livro não é um manual para o sucesso. Na verdade, é tudo sobre o que precisa acontecer em você no caminho para o que você sonha, seja lá o que for. Pro caso dessa rasgação de seda não ser suficiente para te convencer a ler Girl Boss, separei cinco conselhos importantíssimos da Sophia que todo mundo deveria ouvir.

*Até agora não sei se é junto ou separado, sigo alternando por via das dúvidas.

Continuar lendo

O que vou ler na Maratona Literária de Inverno 2017 #6

lendo

As férias chegaram e com elas um dos períodos que eu aguardo mais ansiosamente: a Maratona Literária de Inverno. O evento é promovido anualmente pelo Victor Almeida (do Geek Freak) e sempre é um momento maravilhoso para superar toda e qualquer ressaca literária que possa existir. A edição deste ano vai acontecer entre os dias 16 e 30 de julho e conta com uma página super completa no aplicativo Amino.

Como amanhã já é o primeiro dia, resolvi compartilhar a minha lista de leituras, de acordo com os desafios propostos pelos próprios organizadores do evento. Inicialmente, escolhi o nível hardcore, mas acabei trocando para o intermediário para que, além dos desafios, eu possa ler alguns livros que estão na minha lista há bastante tempo.

Para quem quiser saber mais e se inscrever para participar, todos os detalhes foram explicados no vídeo de apresentação.

Continuar lendo