Atualização Mensal: Livros internacionais de Janeiro

books

Eu to muito cumpridora de promessas nesse 2018, pode falar.

Como prometido no último post de atualização mensal, voltei para falar sobre as leituras internacionais deste mês. Inclusive, preciso mencionar que me sinto quase Policarpo Quaresma por ser a mesma quantidade de leituras nacionais.

Caso você não saiba como esse quadro funciona, eu basicamente faço um balanço do mês, com umas resenhas curtinhas e o desejo de te convencer a ler as mesmas coisas que eu.

Vem que tem indicações topzika!

Continuar lendo

Anúncios

Maratona para o Oscar 2018 #1: Os indicados a Melhor Filme

maratona oscar - melhor filme

Está oficialmente aberta a minha temporada favorita do ano inteirinho: a maratona dos filmes do Oscar! Desde que saiu a lista com todos os indicados, estou louca fazendo planilha e maratonando tudo pra poder opinar com propriedade no dia da cerimônia (um sentimento muito  massa, pra ser sincera).

Por isso, vamos começar hoje uma série de posts com mini resenhas sobre os filmes que farão parte desta disputa. Com certeza não vou conseguir assistir tudo, mas vou tentar pelo menos assistir aos indicados às categorias principais e comentar por aqui. Assim, você pode ler tudo e se fingir de super bem entendido para os seus amigos. Como todos os posts com a temática cinema, as publicações acontecerão toda segunda-feira até o dia 4 de março, quando acontecerá a tão esperada premiação.

É claro que não dava para começar com uma categoria diferente. Para dar início a essa série, falarei sobre quase todos os indicados ao prêmio de Melhor Filme. O único que ficou de fora foi Trama Fantasma, que ainda não foi lançado e não está disponível em plataforma nenhuma, mas, assim que assistir, atualizarei a postagem. Se quiser saber quando isso acontecer, basta seguir o instagram do blog (@desfabulosodestino)!

Continuar lendo

“Ué, é só isso?”

ué.gif

Como mencionei por aqui, uma das melhores decisões que tomei em 2017 foi voltar para a terapia. É incrível e intenso mergulhar em si mesmo e refletir sobre um monte de coisas que costumam passar despercebidas. Sério. Não tem preço. Apesar disso, esse não é exatamente o assunto de hoje.

A verdade é que eu discuti bastante com a minha maravilhosa terapeuta sobre aquela sensação de “ué, é só isso?”, que bate quando realizamos uma meta que elegemos como a mais importante de todas. A gente acha que precisa de tal coisa pra que a vida realmente faça sentido e entre nos eixos. Morar sozinha, ter um emprego, entrar na faculdade. Sempre tem aquela coisa que faz com que a gente pense “quando eu fizer isso, a minha vida vai mudar completamente”.

Mas nem muda tanto assim. Na maior parte das vezes, você só vira uma versão de si mesmo com mais responsabilidades. Nada é tão instantâneo, nem acontece num passe de mágica. É claro que sair de casa, entrar na faculdade e conquistar o emprego dos sonhos mudam as coisas de alguma forma, mas não é algo imediato. Essas coisas levam tempo e a gente quase nem se dá conta de que realmente mudou até que para pra refletir.

Continuar lendo

Atualização Mensal: Livros nacionais de Janeiro

lendo livro.gif

Hello! Como vai você?

Gostei tanto de fazer um post com mini resenhas dos filmes assistidos em 2018, que resolvi fazer basicamente a mesma coisa com os livros que li durante este mês. Como, felizmente, tem bastante coisa pra comentar, vou dividir o conteúdo em duas postagens: uma com as obras nacionais e outra com as internacionais, pra nem eu nem você enlouquecermos.

O melhor de tudo é que essa postagem já faz parte do desafio Mulheres Para Ler, do canal Conto em Canto. Neste ano, a Iara Picolo lançou um calendário especial com desafios mensais e o de Janeiro é, justamente, ler uma autora nacional. Ou seja, além de tudo, você pode conferir umas indicações que se encaixam nesse projeto maravilhoso. ❤

Continuar lendo

Arquivo S: Os filmes de 2018 (até agora)

assistindo3

Hello!

Como mencionei no meu post de metas, quero assistir pelo menos 60 filmes esse ano e resenhar o máximo possível deles por aqui. Então, já que passei as últimas semanas meio que de férias, resolvi retomar o tempo perdido e falar sobre o que assisti até agora.

São muitas coisas? Com certeza não. Mas pelo menos tem algumas indicações interessantes que podem servir de inspiração, se essa for sua meta também.

Continuar lendo

Minhas metas para 2018

dias melhores virão

“Dias melhores virão”

Eu sou A Doida das Listas. Com letras maiúsculas e bastante destaque porque é um título que carrego com orgulho e que faço por merecer: faço listas em todas as situações possíveis (e nas impossíveis também). Por isso, não deve ser surpresa pra ninguém que eu adoro uma boa listinha de metas de ano novo. Sou fissurada por essa tradição e, como boa virginiana, adoro ir riscando cada um dos itens.

Há uns anos, abandonei a mania de utilizar esse tipo de lista como uma enumeração de sonhos mirabolantes e passei a focar bem mais em objetivos concretos. Até agora, tem dado bastante certo. Das minhas metas do ano passado, só duas ficaram faltando e estou disposta a tirar o tempo perdido e completá-las agora.

Por isso (e para aumentar a humilhação, caso eu não a cumpra), resolvi compartilhar a lista deste ano por aqui.

Continuar lendo

Um brinde à intensidade de 2017

Sem dúvidas, 2017 foi um dos anos mais intensos da minha vida. Passei a primeira semana dele no hospital e até achei que isso era um sinal mirabolante de que as coisas não dariam muito certo ao longo dos dias seguintes, mas, no fim das contas, sinto que aprendi muito e que me permiti crescer e amadurecer como nunca.

Fiz vinte anos e senti todas as emoções doidas da vida adulta, como viajar sozinha, fazer minha primeira e tão sonhada tatuagem, passar o ano inteirinho sem morar com ninguém e noivar (!!!). Escrevi dois artigos, apresentei um deles em uma cidade distante e redescobri meu amor pela vida acadêmica.

Voltei para a terapia e mergulhei em mim mesma, descobrindo que essa é a melhor viagem que você pode fazer. Depois de mais de dez anos, passei 365 dias sem escovar meu cabelo e entendi que isso é muito mais que uma simples questão de estética, tem a ver com identidade, pertencimento e amor próprio.

Trabalhei muito e percebi que essa rotina louca pode ser tanto cansativa quanto libertadora e, normalmente, é os dois ao mesmo tempo. Comecei a criar uma planta, vi meu irmão se formar no Ensino Médio e fiz novas amizades. Fui mais honesta comigo mesma e me permiti.

Escrevi e li bastante e voltei a me conectar com esse lado que eu tinha abandonado, mas que amo tanto. Comecei a me organizar melhor financeiramente e tenho me interessado bastante por tudo relacionado a essa área. Entendi mais sobre mim e adquiri uma visão totalmente nova sobre o mundo ao meu redor.

No meio dos altos e baixos, mantive sempre perto as pessoas que fazem tudo valer a pena. Cresci muito e me sinto cada vez mais conectada com uma versão mais real de mim. Foi um ano louco, transformador e assustadoramente intenso, com uma importância gigantesca.

Que 2018 seja ainda mais cheio de intensidades.

Um brinde a tudo que passou e às experiências que estão por vir.

Feliz ano novo (e feliz 3 anos de Desfabuloso Destino)!